▸ Agenda Cultural ▸ Artigos ▸ Carnaval ▸ Celebridades ▸ Cotidiano ▸ Cultura ▸ Destaques ▸ Economia ▸ Educação ▸ Entretenimento ▸ Esporte ▸ Eventos Sociais ▸ Festival Folclórico de Parintins ▸ Internacional ▸ Justiça ▸ Lazer ▸ Meio Ambiente ▸ Nutrição ▸ Polícia ▸ Política ▸ Religião ▸ Saúde ▸ Tecnologia ▸ TRANSPORTES ▸ Turismo

Notícias
Compartilhar Imprimir

Política | ZONA FRANCA BLINDADA | 15/03/2019 | 12:50 | Por: Portal Flagrante

‘Neste momento a nossa Zona Franca de Manaus está totalmente blindada’, afirma o deputado federal Bosco Saraiva

Em entrevista na manhã de hoje (15) ao radialista Marcos Santos (Rádio Diário), o deputado federal Bosco Saraiva (Solidariedade) falou sobre os desafios e vantagens para o Amazonas, com ele e o senador Omar Aziz (PSD) à frente de duas das mais importantes comissões na Câmara Federal e no Senado.
 
Eleito na última quarta-feira (13), presidente da Comissão de Desenvolvimento Econômico, Indústria, Comércio e Serviços (Cdeics), Bosco Saraiva, destacou que os interesses do Amazonas, em especial, os que dizem respeito à Zona Franca de Manaus estão salvo-guardados.
 
“Combinada com a Comissão de Assuntos Econômicos do Senado, presidida pelo senador Omar Aziz e a Cdeics da Câmara, nós podemos dizer que, neste momento a nossa Zona Franca de Manaus está totalmente blindada. Pois tem dois amazonenses presidindo as duas comissões, por onde tudo passa, exceto os decretos que é outra luta intensa da nossa bancada”, disse Saraiva.
 
Bosco Saraiva explicou que na Câmara dos Deputados é onde o ‘mundo acontece’ nas comissões. Ao todo, são 25 comissões permanentes. E, é lá que acontecem os grandes debates.  Já, no plenário, o tempo é adversário dos deputados.
 
“No plenário ocorrem às votações com um tempo ínfimo. É muito complicado você concluir um raciocínio. Para você ter idéia, pelo regimento interno, o parlamentar só fala uma vez no grande expediente a cada semestre. Grande expediente é aquele tempo de 25 minutos em que você pode fazer um debate. Fora isso você vai lá falar um minuto e quando você começa a falar pede para que seu discurso seja publicado como lido e divulgado na voz do Brasil”, contou acrescentando que tais procedimentos precisam ser revistos pelo Congresso Nacional.
 
O radialista Marcos Santos, brincou dizendo que em apenas dois meses e no seu primeiro mandato como deputado, Bosco Saraiva, já chegou “sentando na janela”.  Referindo-se ao fato do deputado ter assumido a liderança de uma das principais comissões da Câmara Federal.
 
“Meu partido (Solidariedade) tem 15 parlamentares e isso se deu em decorrência da minha certa experiência acumulada como vereador, três vezes presidente da Câmara, secretário de Planejamento Municipal, secretário Estadual de Obras, secretário de Segurança, vice-governador do Estado. Quando entrou o velinho, eles disseram – ‘O velhinho tem preferência’ – Então, vai sentar na janela”, brincou.
 
BANCADA FORTE
 
Durante a entrevista, Bosco Saraiva destacou que ‘Graças a Deus’, o Amazonas está com uma bancada muito forte tanto na Câmara Federal, quanto no Senado.
 
“Uma bancada que está sendo coordenada por um dos senadores mais importantes do país hoje, o senador Omar Aziz. Para orgulho do povo amazonense, o senador é um dos mais influentes no Congresso Nacional. Ele dirige uma bancada muito grande, tanto que logrou a presidência da Comissão de Assuntos Econômicos. E é o que melhor podia acontecer para o povo amazonense com relação aos nossos empregos e renda. E fez o vice, o senador Plínio Valério. E eu também consegui, dentro do partido, fazer o vice, que é o amazonense (deputado Otaci), mas que representa Roraima e é, portanto, da região. Logo, nós estamos totalmente blindados com relação ao nosso oxigênio, nosso bem maior que é a Zona Franca de Manaus”, evidenciou o presidente da Cdeics.
 
DESTAQUE PARA BANCADA AMAZONENSE
 
Saraiva chamou a atenção para o fato de a bancada amazonense ser formada apenas 11 parlamentares, dentre os mais de 600 do país. Três senadores e oito deputados federais, o que pode ser um contingente pequeno, mas tem as presidências de três importantes comissões.
 
“Fora a Comissão que eu estou presidindo, o deputado Silas Câmara obteve êxito e está presidindo a Comissão de Minas e Energia, que é importantíssima, inclusive para nossa região, especialmente para o nosso Estado e o deputado Átila Lins presidente da Comissão de Desenvolvimento Regional em Defesa da Amazônia, também muito relevante para nossa região. Uma bancada das menores, mas de um valor imensurável”, avaliou Saraiva considerando a participação de todos os deputados federais e senadores do Amazonas, e chamando a atenção da população para a atuação de seus representantes.
 
“Nós teremos um ano difícil. Veja que agora o governador de São Paulo está anunciando incentivos para a indústria automobilística da ordem de renuncia fiscal de 25%. Enquanto isso, o ministro da economia está falando contra os incentivos. O que é uma confusão. Atento a isso, é que nos estamos empregando todos os nossos esforços e, neste início, graças a Deus, a combinação do comando dessas comissões nos permite dizer que nós temos uma blindagem perfeita da nossa Zona Franca, a manutenção dos nossos empregos, a manutenção da vida do nosso trabalhador”, considerou o deputado.
 
 
 
NÚMEROS NEGATIVOS
 
Bosco Saraiva comentou a manchete do jornal que destaca que “O Amazonas lidera queda na produção da indústria do país, em janeiro”.
 
“Veja quanto risco a gente corre. Por isso é preciso levar, todos nós, levarmos efetivamente a sério. E que o nosso povo fique atento aqueles que estão trabalhando em prol da manutenção do nosso trabalho”.
 
SOBRE A SUFRAMA
 
Durante a entrevista, Bosco Saraiva também falou sobre a reunião nesta quarta-feira (13) com o presidente da Suframa, Alfredo Menezes e toda a bancada do Amazonas, que, por unanimidade, decidiu elaborar uma pauta embasada em três pilares para ser discutida com o governo federal. Primeiramente apresentada ao ministro Paulo Guedes e depois ao presidente da República.
 
 
 
“O primeiro item é o descontigenciamento dos recursos arrecadados pela Suframa para que eles sejam reinvestidos na região, pelo menos para capinar o Distrito Industrial. Para pegar esse recurso e distribuir nos demais estados da região, de forma que eles possam trabalhar nas questões de melhoramento seja lá do que for. Mas esse recurso não pode ser arrecadado aqui, ir para Brasília e ficar por lá como tem acontecido nos últimos anos. Segundo ponto principal: a volta do PPB (Processo Produtivo Básico) para o Conselho de Administração da Suframa. Essas decisões do PPB para a implantação de novas indústrias que, desde Fernando Henrique Cardoso tirou a autonomia do Amazonas. Portanto a gente não pode, sequer, aprovar uma indústria de beneficiamento de produtos regionais. A terceira é a competitividade. Que haja segurança jurídica para a Zona Franca, para que não aconteçam golpes como o que aconteceu ano passado com o Pólo de Concentrados e que ainda não foi revogado e em maio expira o prazo. É exatamente isso que vamos lutar para reverter, para que nós tenhamos autonomia com relação a nossa Zona Franca”, advertiu o deputado.
Deixe seu Comentário

Nome:

Email:

Seu email não será publicado
Mensagem:
Leia Também

© Copyright 2016 Portal Flagrante. Todos os direitos reservados.